Deixa o seu Comentário ou reposta

Estatísticas de Disfunção Erétil

Estima-se que aproximadamente 30 milhões de homens em todo o mundo sofram de disfunção erétil. No entanto, apenas cerca de metade deles consegue o diagnóstico.

Muitos outros permanecem constrangidos com o que aconteceu, então eles escondem. Eles não querem discutir com parceiros sexuais ou com profissionais médicos.

Isso significa que 1 em cada 10 homens teve que lidar com esse problema. Há um equívoco comum por aí de que apenas homens mais velhos sofrem de disfunção erétil. No entanto, pode afetar homens de todas as faixas etárias. Pode surpreendê-lo saber que apenas 40% das pessoas com diagnóstico de disfunção erétil têm mais de 40 anos. Embora haja um risco maior de isso ocorrer quando um homem envelhece, não é o único fator que leva a isso.

Certas questões médicas podem resultar em um homem sofrendo de disfunção erétil. O mais comum é o diabetes. As estatísticas mostram que 50% dos homens com diabetes também acabam com disfunção erétil. Ao dedicar algum tempo para controlar o diabetes, esse risco é significativamente reduzido. Siga as instruções do seu médico e certifique-se de fazer todas as perguntas que possa ter.

Fumar também é um fator significativo que pode afetar a disfunção erétil. Estudos mostram que homens que fumam um maço por dia têm duas vezes mais chances de isso acontecer. Se fumarem mais do que isso, suas chances de sofrer de disfunção erétil podem triplicar. Para homens mais velhos que fumam, o risco de disfunção erétil aumenta a cada ano que passa.

Mais homens estão dispostos a admitir que têm problemas com disfunção erétil online ou com pesquisas em que não precisam ser identificados. Nesses estudos, até 56% dos homens na pesquisa admitiram algum nível de problema. No entanto, a gravidade disso não pôde ser identificada nesses relatórios. O que se pôde determinar, porém, é que existe uma necessidade significativa desse tipo de tratamento.

De todos os diferentes tratamentos disponíveis para a disfunção erétil, aquele com o qual os homens estão mais familiarizados é o uso de medicamentos prescritos. 89% dos homens disseram que arriscariam com eles para ver se funcionavam se sofressem de disfunção erétil. Isso apesar dos conhecidos efeitos colaterais, reações alérgicas e possíveis riscos à saúde. Praticamente qualquer homem dirá que sua capacidade de desempenho sexual é uma parte fundamental de sua vida. Isso não é algo que a maioria dos homens está disposta a desistir sem lutar.

A cada ano, mais de 600.000 homens são atendidos por profissionais médicos devido a problemas de disfunção erétil. Isso pode indicar ao público em geral que mais homens o têm agora do que nunca. A realidade é que, com todas as informações educacionais disponíveis, o assunto não é mais um tabu. Os homens estão procurando assistência para a disfunção erétil em um ritmo mais alto do que nunca. Eles agora sabem que existem soluções viáveis ​​disponíveis.

Quanto mais homens começarem a perceber a importância de cuidados médicos de qualidade para sua disfunção erétil, as estatísticas serão mais confiáveis. Seremos capazes de medir com precisão quão grande é o problema que isso realmente representa para a sociedade. Ao mesmo tempo, porém, também seremos capazes de ver quão eficazes são os vários tipos de tratamento para ele. A boa notícia é que mais de 90% dos homens com disfunção erétil podem se beneficiar dos vários métodos de tratamento oferecidos.